Roland Garros: Além de um torneio charmoso

Vai acompanhar Roland Garros? Ótimo, mas não deixe também de aproveitar as outras maravilhas que Paris tem de melhor, desde a riquíssima variedade de passeios até as deliciosas refeições no topo da Torre Eiffel.

O BRASILEIRO TEM UM CARINHO especial por Roland Garros. As lembranças inesquecíveis dos triunfos de Guga em 1997, 2000 e 2001 nos encheram de orgulho e aproximaram o torcedor do nosso país do charmoso Grand Slam parisiense.

Com o clima agradável, de dias ensolarados e um friozinho suave à noite, Paris fica ainda mais bela na primavera. Com as mesas dos bares e cafés acomodadas nas calçadas e os jornais trazendo diariamente as notícias do torneio (não há como se perder já que você pode avistar figuras de bolinhas coladas no chão para guiar os turistas em direção ao complexo), a capital francesa respira Roland Garros durante mais de duas semanas.

Existem muitas maneiras de aproveitar o torneio e a cidade, mesclando esporte, história, cultura e gastronomia em uma viagem incrível. Algumas dicas, no entanto, podem ajudar o viajante que vai pela primeira vez para a ‘Cidade Luz’.

Aproveitando o complexo esportivo

Para curtir plenamente o torneio de Roland Garros, o ideal – ao contrário do que se pensa – é ir na primeira semana da chave principal. Além de conseguir ingressos mais baratos, é possível aproveitar muito mais a atmosfera do evento, encontrar mais jogadores, testemunhar as quadras lotadas e, quem sabe, descolar um autógrafo em um momento de “bobeira” de alguns deles nos treinos.

Se for possível, vá ao torneio dois dias seguidos. Como nos Grand Slams os jogadores geralmente jogam em um espaço de dois dias, dessa forma, há a oportunidade de ver praticamente todos eles em ação. Ao comprar o ingresso de um dia na quadra central Philippe Chatrier e outro no dia seguinte na Suzanne Lenglen – o bilhete de um estádio não vale para o outro –, há a chance de conhecer ambas as quadras e ainda há o acesso aos Annexes, o conjunto das quadras externas.

É claro que chegando perto das finais, a possibilidade de assistir a jogos históricos e grandes duelos é maior, no entanto, serão apenas uma ou duas partidas por dia e o valor dos ingressos fica bem mais alto. Essa escolha é válida para quem já foi ao torneio algumas vezes, já passeou por lá e assistiu aos jogos nos três estádios (Philippe Chatrier, Suzanne Lenglen e a Quadra 1). Mas, para quem vai pela primeira vez, o mais interessante é aproveitar todo o complexo.

Ingressos, hotéis ou pacotes completos (ingressos + hospedagem + assessoria especializada) devem ser comprados com antecedência. Essa é uma época movimentada em Paris e, em Roland Garros, os ingressos são nominais e esgotam-se rapidamente. A demanda é muito maior do que a oferta, e a Federação Francesa de Tênis (FFT), a cada ano, cria novas medidas para inibir a ação de cambistas. A melhor opção é sempre se programar e chegar com tudo prontamente organizado.

Gastronomia e cultura

Com sua rica história, dezenas de museus, galerias, igrejas, cafés, bistrôs e ainda um enorme rio cruzando a cidade, Paris é um lugar perfeito para o lazer. Torna-se desnecessário dizer que come-se muito bem por lá. O francês é um apaixonado por gastronomia e isso transparece em todas as regiões da cidade, das pequenas brasseries aos grandes restaurantes.

Falando do monumento mais famoso da cidade, há duas possibilidades inesquecíveis – uma delas é fazer sua refeição vendo a Torre Eiffel e toda Paris de cima, no restaurante Le Ciel de Paris, que fica no 56º andar, da Torre Montparnasse, o ponto mais alto e a melhor vista da capital. No almoço, os menus completos (entrada, prato, sobremesa e café) variam de 30 a 40 euros por pessoa. No jantar, com as luzes da cidade acesas, vale escolher o Menu Grand Écran (114 euros por pessoa) que inclui, além da comida, Champagne e uma vasta carta de vinhos. É importante reservar antes e pedir uma mesa junto às paredes de vidro.

A outra possibilidade é se deliciar em um dos dois restaurantes dentro da própria Torre. Para o almoço, pode ficar mesmo no primeiro andar para uma rápida e lúdica refeição no 58 Tour Eiffel. Reserve sua mesa e, por pouco mais de 40 euros, tenha um banquete farto (com bebida inclusa) servido em um cesto de piquenique bem original.

Para a noite parisiense, não há nada mais apropriado do que pegar o elevador e parar no exclusivo Le Jules Verne, no segundo andar da Torre. Com vista deslumbrante da Cidade Luz a 125m de altura, e com o cardápio assinado pelo célebre chef Alain Ducasse, é um local perfeito para quem não troca o clima de romantismo por nada. Vale lembrar que as reservas precisam ser feitas com antecedência (www.lejulesverne-paris.com), principalmente na época de Roland Garros, entre os meses de maio e junho. O menu mais em conta do restaurante na sessão noturna é perto de 210 euros, mas lhe reserva comida da melhor qualidade, com ingredientes de primeiríssima linha. Vá de entrada com o salmão defumado com um tartare de legumes ou mil-folhas de foie gras ao molho de Nântua. Para a refeição principal, peça o pernil de cordeiro de leite ao vinho com barigoule de alcachofra. De sobremesa, um savarin coberto por chantilly e acompanhado por trufas, marshmallows e macarons.

Passeios

Para os dias livres, uma sugestão é fazer os traslados para os pontos turísticos de barco pelo rio Sena, em passeio intitulado “hop-on hop-off”. Diferentemente do passeio tradicional pelo rio, neste, você compra o passe de um dia e pode descer em uma das oito paradas nos principais cartões postais (como a Catedral de Notre Dame ou o Museu do Louvre, por exemplo), visitá-los e adentrar no próximo barco para continuar o tour pela cidade.

Mas a dica mais importante é: curta ao máximo o torneio e a cidade. Seja assistindo a horas seguidas de tênis, torcendo de perto pelo seu ídolo ou circulando pelas belezas de Paris com um croissant na mão. Tenha a certeza de que será mais um incrível Roland Garros e você estará lá ao vivo.

*Lúzio Ramos é proprietário do Mundo Tênis, empresa especializada em passeios para assistir aos principais torneios do circuito mundial. Contato: luzio@mundotenis.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *